Agricultura Regenerativa: como os biológicos têm fortalecido esse conceito no Brasil

Agricultura Regenerativa: como os biológicos têm fortalecido esse conceito no Brasil

O que é Agricultura Regenerativa?

Nos últimos anos, muito tem se falado sobre a Agricultura Regenerativa, que é um termo ligado à possibilidade de produzir recuperando os solos, com o objetivo de promover a restauração de todo o sistema de produção de alimentos.

Apesar do conceito ir na direção do que a agricultura moderna entende como ideal, o termo foi cunhado há mais de 35 anos, no início da década de 1980, pelo norte americano Robert Rodale¹ ao estudar os processos de regeneração dos sistemas agrícolas ao longo do tempo. Ele acreditava que as técnicas agrícolas modernas e os hábitos alimentares americanos deixavam muito a desejar, e via uma relação direta entre o declínio da saúde do solo americano e a saúde do povo americano - uma visão revolucionária naqueles dias.

De acordo com Eduardo Ehlers, no livro “Agricultura Sustentável - Origens e Perspectivas de um Novo Paradigma” (1996)², a Agricultura Regenerativa visa a regeneração e a manutenção não apenas das culturas, mas de todo o sistema de produção alimentar, incluindo as comunidades rurais e os consumidores.

A Agricultura Regenerativa no contexto atual

Trazendo para a realidade das propriedades rurais de hoje, a conservação e o tratamento do solo têm representado aos agricultores uma forma de oferecer sustentabilidade e ao mesmo tempo produtividade ao processo de produção, revertendo-se em rentabilidade para a lavoura.

Por este motivo, o mercado de produtos biológicos e naturais (ou bioinsumos) – que atua de forma eficaz no equilíbrio do solo, vigor e sanidades das plantas, cresce de forma acelerada no Brasil, contribuindo para a agricultura regenerativa.

Isto porque o produtor brasileiro é historicamente um empreendedor com foco em sustentabilidade, o que tem sido demonstrado nas últimas décadas com a adoção de práticas como o plantio direto e a ampla adoção de inoculantes (bactérias fixadoras de nitrogênio), que economizam bilhões de dólares todo ano ao Brasil – além de retirarem milhões de toneladas de CO2 da atmosfera.

Nesse momento, não seria diferente: a 3ª revolução tecnológica da agricultura, com o uso de biológicos e naturais, é liderada pelo Brasil. Com mais de 32 milhões de hectares já utilizando biológicos em larga escala³. Temos exemplos contundentes da aplicação - como a cana-de-açúcar, pioneira no uso de insetos predadores no controle de broca e outras pragas, que hoje caminha para um manejo de solo cada vez mais biológico, com o controle de nematoides, podridões e outros desafios do setor.

O uso de biológicos na agricultura brasileira

O Brasil já movimenta mais de US$ 300M em produtos biológicos e o mercado cresce acima de 20% ao ano⁴. É o país do mundo de mais rápida adoção, sendo que dos quase US$ 3 Bi ⁵, o Brasil já representa 10% em valor de mercado.

Mas o que faz o mercado brasileiro crescer de forma tão acelerada? É aqui que mais uma vez o agro mostra o poder da combinação entre pesquisa, dedicação e empreendedorismo. No Brasil o produtor agrícola expande o uso de biológicos porque ele precisa de mais eficiência e de mais rentabilidade para competir e se manter na atividade.

Os biológicos - entregando mais inovação, com mais empresas e com suporte no campo, têm oferecido as ferramentas que faltavam para uma ampla adoção.

Hoje, os biológicos podem melhorar a eficiência dos químicos e da adubação, e em diversos casos podem mudar o patamar de produção e rentabilidade das fazendas.

Tudo isso exige uma visão nova de mundo e de agricultura. Os biológicos exigem uma visão mais holística da produção. Eles não têm um único mecanismo de ação, têm em geral 4 ou 5 por exemplo combinando em um mesmo produtos:

  • Promoção de crescimento;
  • Controle de um alvo;
  • Equilíbrio de outros processos.

Biológicos e naturais atuando na sustentabilidade, saúde e paz

Com isso, estamos caminhando para uma agricultura regenerativa, que age sobre a paz e a saúde da humanidade. Com as tecnologias biológicas e naturais pode-se produzir mais sem aumentar a área. Assim, os biológicos têm entregado aumentos de 3 a 9% de produtividade, com consistência, em diversas regiões. São produtos ainda mais eficientes e mais seguros, para quem aplica e para quem consome o que é produzido.

Em conclusão, é uma oportunidade de ouro. O Brasil tem, mais uma vez no agro, a chance de contar e mostrar ao mundo um significado amplo de sustentabilidade. A revolução está acontecendo, é hora de dar visibilidade ao futuro que já chegou.


Fontes:

¹ Sane living in a mad world; a guide to the organic way of life (1972), Rodale, Robert.

² Agricultura Sustentável - Origens e Perspectivas de um Novo Paradigma (1996), Ehlers, Eduardo.

³ Considerando 80% de adoção em inoculantes para soja, 30% para outras culturas e 90% do mercado de nematicidas em grãos;

SPARK 2020

⁵ DUHAM TRIMMER 2021

28 de janeiro de 2021

Artigo: Utilização da vinhaça com aplicação localizada nas linhas da cultura da cana-de-açúcar

A BIOTROP, por meio de formulação superior, possui diversos produtos para a eficaz aplicação na vinhaça localizada.

28 de janeiro de 2021

BIOTROP obtém aprovações para a agricultura orgânica

A empresa acaba de conquistar a certificação do IBD, maior certificadora de produtos orgânicos da América Latina para diversos produtos de seu portfólio.

28 de janeiro de 2021

BIOTROP conquista selo GPTW

Participando pela primeira vez em 2022, a Biotrop passa a ser certificada como um ótimo lugar para se trabalhar!

1 2 3 24